eficiência energética: STARTUP PROMOVE USO CONSCIENTE E ECONOMIA de energia

Com foco em medir e fornecer dados em tempo real para uma análise pormenorizada de como a energia está sendo utilizada, a Greenant – Gestão de energia inteligente desponta com invejável sucesso na implantação de sistemas compostos por hardware,  processamento na nuvem e uma plataforma SaaS que potencializam uma extraordinária economia para seus clientes.

Como a energia do seu empreendimento é consumida? Qual o potencial de redução dos desperdícios e de aumento da produtividade? Onde estão os pontos de melhorias? Perguntas simples, mas que quase ninguém sabe ou sequer pode responder. Não por falta de vontade, mas de um sistema que subsidie a coleta, a informação e a compreensão das principais variáveis que compõem o perfil de uso da energia demandada nas operações.

GESTÃO DA ENERGIA

A eficiência energética é um dos aspectos essenciais a serem planejados e executados quando se tem como premissa a sustentabilidade econômica e ambiental de um negócio. Especialmente no Brasil que ocupa o infeliz posto de 6º lugar em termos de energia mais cara do mundo (1) — relativa ao consumo industrial —, segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. Considerando que o país desperdiçou mais de 60 bilhões de reais nos últimos três anos (2) com o uso inapropriado da energia, não surpreende que exista uma explícita e premente necessidade de intervenção nos sistemas consumidores deste recurso para que este cenário seja revertido. Sobretudo quando se pretende evoluir em produtividade e em sustentabilidade econômica e ambiental.

Fazer a gestão da energia, de modo a otimizar o seu consumo e aumentar a produtividade por kWh não é tarefa fácil devido às diversas peculiaridades envolvidas entre o sistema elétrico e o consumidor. Principalmente quando o consumidor não dispõe das informações necessárias para o gerenciamento das grandezas e para a tomada de decisão preventiva. Tampouco conhecimento técnico para descobrir no quê, onde e como interferir para que o uso da energia seja totalmente alinhado às suas operações, reduzindo os desperdícios.

No caso de grandes consumidores, a exemplo de shoppings, indústrias, supermercados, hospitais e demais estabelecimentos que representam a grande demanda, as métricas de uso da energia devem ser atreladas tanto aos dados operacionais quanto aos comerciais, de modo que o balanço seja positivo para o negócio e para o meio ambiente. Uma gestão ativa faz toda a diferença em cada ciclo operacional.

Na indústria, por exemplo, tão somente calcular o consumo ou preço da energia por produto produzido é insuficiente para determinar quais ações a adotar nos próximos ciclos. O mesmo vale para os supermercados, quando se aborda exclusivamente a energia gasta por receita de vendas num período. Já nos shoppings, a demanda periódica de energia por receita gerada pelo número de visitantes não esclarece como estabelecer estratégias para a melhoria do desempenho energético e assim diminuir os custos.

Por si só, essa rasa análise pouco auxilia para que o gestor encontre medidas para tornar seu empreendimento mais eficiente, pois carece de métricas suficientes. Há uma enorme lacuna de dados que, caso acessíveis, facilitariam sobremaneira o encontro de cenários para atingir metas de produtividade mais ambiciosas e a sustentabilidade na prática.

Dito isto, gerir o uso da energia apenas com a conta de luz em mãos, como ainda se faz na maioria dos casos, gera resultados medíocres, a partir de “ações post mortem” desvinculadas de um conjunto maior de dados que apontariam com precisão os desvios de consumo energético além do limite da salubridade econômica e ambiental.

TECNOLOGIA A FAVOR DA GESTÃO DA ENERGIA

A boa notícia é que já existem soluções ao alcance das mãos, que têm se provado altamente efetivas em relação à obtenção de dados em tempo real para melhor gerir o uso da energia. Tomadas de decisão tecnicamente embasadas, com o intuito de reduzir desperdícios já são uma realidade, graças ao uso de tecnologias que, diga-se de passagem, pagam-se automaticamente com a economia gerada. E se engana quem imagina que tais soluções são dispendiosas ou complexas.

Com foco em medir e fornecer dados em tempo real para uma análise pormenorizada de como a energia está sendo utilizada, a Greenant – Gestão de energia inteligente desponta com invejável sucesso na implantação de sistemas compostos por hardware,  processamento na nuvem e uma plataforma SaaS (Software as a Service) que potencializam uma extraordinária economia para seus clientes.

Por meio de um dashboard online para medição, acompanhamento e interpretação de variáveis em tempo real, a solução da Greenant possibilita ao gestor assumir total controle acerca de sua rede de distribuição e consumo de energia, identificando possíveis pontos de ineficiência, anormalidades, potenciais desvios contratuais (sujeitos a multas), entre outros critérios que lhe permitem atuar incisivamente nos focos dissonantes ou passíveis de melhorias. Se um determinado setor do empreendimento, por exemplo, estiver consumindo mais energia do que o esperado, o sistema evidencia a anormalidade, permitindo a intervenção imediata ou um planejamento para a substituição de equipamentos onerosos energeticamente. Eventos sobre picos de consumo, entrada de operação de equipamentos e demais ocorrências na rede são imediatamente informadas ao gestor, via plataformas móveis como celulares ou tablets, bem como computadores com acesso à Internet.

Com o sistema atual que pode proporcionar até 20% de economia, a solução da Greenant é não intrusiva (não demanda obras), tampouco desperdiça tempo ou provoca longas interrupções de operação para implantá-la. Basta instalar o hardware (conhecido como “medidor inteligente”) no quadro de energia, conectando-o via wi-fi à Internet. Todos os dados sobre o consumo são processados na nuvem e apresentados no dashboard, que é a interface de comunicação com o gestor. Ao lado de diversas ferramentas de gestão, o sistema também oferece gráficos analíticos para uma melhor interpretação dos dados, facilitando a adequação das rotinas de uso da energia.

OPORTUNIDADE DE INVESTIMENTO

Só em 2017 a Greenant obteve 1,2 milhão de reais de receita bruta, com lucro líquido de 390 mil reais. Conquistou prêmios como EDP Inovação, Engie Innovation Day e Menção Honrosa no NILM2018, em Austin no Texas.(2) Uma escalada vertiginosa que não veio por acaso: sua equipe executiva é formada por doutores, doutorandos, mestres e especialistas com grande experiência corporativa e acadêmica, tendo todos atuado em inúmeros projetos relacionados direta ou indiretamente à eficiência energética aliada à tecnologia de ponta.

Neste mês de maio, o portal de investimentos em startups EqSeed.com hospeda uma rodada de captação de R$ 1,6 mi para a Greenant, que projeta com este capital uma receita bruta de R$ 2,4 mi, ampliando as aproximadamente 200 assinaturas mensais atuais para 1.450 assinaturas de medidores/mês. A startup também objetiva reduzir o custo de fabricação dos medidores em 25%, desenvolver novas soluções de hardwaresoftware, bem como ampliar a equipe de colaboradores.

Fato é que os gestores estão se dando conta de que não é mais possível tentar sustentar estratégias deficientes de gestão energética com uma análise desprovida dos elementos necessários e suficientes sobre suas operações. Passam, agora, a buscar dados quantitativos e qualitativos mais apurados de acordo com as particularidades de cada empreendimento. Na medida que acessam e se aprofundam nesses dados, sem deixar a simplicidade analítica de lado, realinham a viabilidade, a competitividade e a produtividade das operações a resultados não menos do que os almejados, além de convergirem aos indispensáveis critérios de sustentabilidade, tão necessários hoje em dia.

Para investidores-anjo, fica a nossa recomendação de uma análise mais aprofundada da oportunidade de investimento na rodada da Greenant, bem como dos possíveis riscos atrelados ao negócio, que detém um enorme potencial de crescimento nos próximos anos. A EqSeed também está oportunizando um webinar aos interessados em investir, que ocorrerá neste dia 15 de maio (em duas sessões: às 15h e às 20h), por meio do seu próprio portal de captação. Maiores informações e inscrições em EqSeed.com.


(1) – Brasil piora em ranking e passa a ser o 6° com a energia mais cara do mundo

(2) – Fonte secundária de dados: EqSeed.com

SOBRE O AUTOR

Giuliano Moretti é Engenheiro Químico e de Segurança no Trabalho, Especialista em Sistemas de Gestão Ambiental e Mestre em Gestão Ambiental. Ao longo de 15 anos foi Diretor de Operações Sustentáveis da Preserva Ambiental Consultoria, enquanto professor universitário de pós-graduação. Apaixonado pelas startups e estudioso do ecossistema, hoje é Diretor de Participações da eXGM Tech Ventures, empresa dedicada a garimpar e apoiar boas oportunidades de negócios embrionários que reflitam potenciais resultados não só econômicos, mas também sociais e ambientais.